Elas não são Joias! Por Cristiano Lima


Jair Bolsonaro, em sua plataforma de governo, o Twitter, fez uma postagem sobre o Dia Internacional da Mulher, dizendo que seu governo fará de tudo para que “estas joias raras” possam se sentir representadas nos próximos quatro anos.

Não, Jair, elas não são joias raras! Elas estão no dia a dia, aos olhos de todos, lutando, resistindo ao machismo, à indiferença ao desrespeito e a desvalorização que muitos ainda destinam a elas.

Conceitos medievais, patriarcais, ofensas, feminicídio, agressões, abusos e a mitigação de sua representação atuante na economia, através da sua força de trabalho, em muitas situações, mantedoras do lar e da família, ainda fazem parte de uma idéia machista incontida na cabeça de muitos homens. 

O fato de ser mulher, e a ela ser concedida a graça, o dom de gerar a vida, para muitos, é motivo, razão de ter um salário menor. “Sei que carapuça vai servir perfeitamente a determinados”.

Determinar, nomear, a mulher como “joia rara” é colocá-la na posição de objeto, adorno e ainda posse. Um comportamento que a partir de uma interpretação crítica e sensível coloca e afirma o macho como detentor, possuidor e livre do uso e fruto “desta jóia”.

A mulher é mais que jóia! É vida, sentimento, luta e coragem! 

Mulheres que gritam por democracia, liberdade e respeito. Mulheres que juntas protagonizaram uma das manifestações mais emocionantes e cheia de força, que lutaram e levantaram a bandeira contra o fascismo.

Marielles, Luzias, Antonias, Jandiras, Dilmas, Marias da Conceição, da Penha e do Rosário, Gleisis e Manuelas, Joanas, Biancas, Natálias, Giseles e tantas outras... Anônimas ou não, mas nunca invisíveis!

Não transpire hipocrisia, quando a pauta principal do seu governo, a Reforma da Previdência, carrega prejuízo a todos e todas, mas principalmente aos mais pobres e às que por você, denominadas joias raras.
______________________________________________________________________________

Cristiano Lima é Educador, graduando em Geografia pela UERJ/CEDERJ e Escritor.

Comentários