O golpe nas entrelinhas jurídicas, por val Carvalho

Publicado em seu perfil no Facebook.


Vendo a histeria do JN sobre a transferência do processo do sítio de Atibaia (SP), colocado irregularmente nas mãos de Moro (PR), para o juiz natural do caso, que é de São Paulo, fica claro o metabolismo do golpe no plano jurídico.

Ciente de que a grande mídia não iria investigar o triplex, Moro simplesmente negou 5 pedidos de perícia feitos pela defesa de Lula para provar que não tinha havido nenhuma reforma no apartamento. Precisou o MTST fazer um vídeo do imóvel durante a sua ocupação para revelar a farsa da condenação de Lula por um juiz assumidamente seu inimigo político, outra óbvia irregularidade do processo penal.

Com o sítio de Atibaia Moro iria fazer o mesmo, ignorando as provas materiais para novamente condenar Lula. A acusação do MP já desconsidera o fato de que seus legítimos donos tinham provado a sua propriedade no registro de imóveis. Moro sabe que suas patifarias contra Lula contam sempre com o apoio total do JN e de toda a grande mídia. E até essa decisão da segunda turma do STF, contava também com a omissão (e cumplicidade) do Supremo.

Mas apesar de todo o tempo gasto no JN para pressionar os ministros da segunda turma do Supremo, parece que a Globo já não consegue mobilizar como antes a sua “opinião pública” adestrada. A consciência de que Lula está sendo perseguido judicialmente já tomou conta da sociedade, e boa parte do seu lado conservador está desmobilizado pela desilusão no governo Temer.

Atualmente, manifestoches, só no campo da extrema-direita, hoje aglutinada em torno de Bolsonaro. Mas esta é uma turma boçal, com cérebro de ervilha e pouquíssima capacidade de convencimento. Portanto, não conseguirá superar a opinião pública democrática e antifascista que se formou no Brasil principalmente depois da bárbara execução de Marielle e da prisão injusta de Lula.

#LulaLivre


Val Carvalho é militante histórico do Partido dos Trabalhadores.

Comentários