Sobre o complexo de vira-lata que emerge no discurso da esquerda, por Daniel Samam


O complexo de vira-latas não é uma exclusividade da direita. Muitas e muitos do campo de esquerda rasgaram a fantasia nos últimos dias nas redes por conta das manifestações massivas do povo argentino contra as reformas promovidas pelo governo Macri.

Não lembram que em 28 de abril de 2017, a unidade das 9 centrais sindicais com as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo fizeram com que cerca de 40 milhões de trabalhadoras e trabalhadores cruzassem os braços e realizassem a maior greve da História do Brasil, num salto organizacional importantíssimo na luta de massas. Também não lembram que os queridos "hermanos" elegeram no voto o lacaio do imperialismo estadunidense, Mauricio Macri.

Lamentável. Isso só revela a ausência de apreço pelo que somos e pelo entendimento de como fomos forjados. Por isso nenhum projeto estratégico e de Nação para o Brasil vai pra frente. São ceifados pelo vira-latismo construído por décadas a fio.

Comentários